Durante um encontro que juntou responsáveis religiosos e os presidentes da Comissão Europeia e do Conselho Europeu, Manuel Clemente falou sobre a importância da dimensão religiosa para respeitar os cidadãos
Durante um encontro que juntou responsáveis religiosos e os presidentes da Comissão Europeia e do Conselho Europeu, Manuel Clemente falou sobre a importância da dimensão religiosa para respeitar os cidadãos Manuel Clemente, o novo patriarca de Lisboa, marcou presença num encontro que reuniu, em Bruxelas, cerca de 20 responsáveis religiosos com os presidentes da Comissão Europeia, Durão Barroso, e do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy. Na reunião, o patriarca de Lisboa afirmou que o respeito pelo cristianismo e outras religiões é essencial para a defesa da cidadania na Europa e da identidade plural do continente.

a coexistência democrática e plural sai fortalecida numa Europa a que todos pertençam, sem desvalorização do lugar de cada um, seja uma pessoa ou um grupo religioso ou sociocultural. Nisto reside um ‘espírito’ europeu que é importante reforçar, para benefício dos antigos e dos novos habitantes do continente, disse o responsável, citado pela agência Ecclesia.

Manuel Clemente destacou que a Europa é uma comunidade humana pluralista e admite uma grande diversidade do ponto de vista religioso e social, mas recordou que é inegável a importância do cristianismo. a fundação cristã da Europa tal como a conhecemos, deixou-nos com uma característica fundamental, tão inovadora que só gradualmente prevaleceu entre os próprios cristãos: a distinção entre os campos político e religioso, sustentou.
Já Durão Barroso disse que perante a crise se tem vindo a sentir cada vez mais a necessidade dos valores da solidariedade e da equidade. a crise segue em conjunto com o ressurgimento de medos antigos que sabíamos existirem na Europa do passado e que podem, efetivamente, regressar a qualquer momento, frisou o presidente da Comissão Europeia. a reunião anual teve como tema ‘Colocar os cidadãos no coração da Europa em tempos de mudança’ e associou-se ao ano Europeu dos Cidadãos que se assinala este ano.