Um voluntário pertencente ao Crescente Vermelho sírio írabe foi morto no seu trajeto de casa para o trabalho. O assassinato de abdo Darwish fez subir para 20 o número de voluntários da organização que morreram no conflito na Síria
Um voluntário pertencente ao Crescente Vermelho sírio írabe foi morto no seu trajeto de casa para o trabalho. O assassinato de abdo Darwish fez subir para 20 o número de voluntários da organização que morreram no conflito na SíriaO Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (MICVCV) emitiu um comunicado esta quinta-feira, 23 de maio, a condenar o assassinato de um dos seus voluntários. abdo Darwish, condutor da delegação de al-Hassakeh, do Crescente Vermelho Sírio Árabe (CVSa), foi morto no seu trajeto de casa para o trabalho no último dia 14, na Síria.
Darwish vestia o uniforme do CVSa, identificando claramente a sua afiliação ao movimento quando foi alvejado por atiradores, descreve a organização.com a morte de abdo Darwish, sobe para 20 o número de voluntários do CVS a que perderam a vida em consequência do conflito na Síria, todos eles mortos enquanto levavam a cabo as suas tarefas humanitárias.
Devido à escalada de violência na Síria, nos últimos dois meses, os ataques contra trabalhadores de cuidados de saúde e a pessoal de socorro têm vindo a aumentar, afirma a Cruz Vermelha, acrescentado que existem relatos de numerosos ataques contra a propriedade do CVSa, incluindo carros e instalações que claramente mostram o emblema.
No mesmo documento, oMICVCV apela a uma imediata proteção dos seus voluntários, e afirma que é essencial que todas as partes facilitem o trabalho desses cidadãos corajosos, e de todos os trabalhadores humanitários, respeitando os emblemas exibidos nas instalações, veículos e vestuário, porque sem isso será praticamente impossível prestar assistência a milhões de sírios.