O bispo auxiliar de San Salvador está em Portugal para testemunhar o martí­rio de óscar Romero, o arcebispo de El Salvador, assassinado a tiro. Em entrevista à Fátima Missionária, recorda que o Papa Francisco há muito que o considerava «um santo»
O bispo auxiliar de San Salvador está em Portugal para testemunhar o martí­rio de óscar Romero, o arcebispo de El Salvador, assassinado a tiro. Em entrevista à Fátima Missionária, recorda que o Papa Francisco há muito que o considerava «um santo» Gregório Rosa Chávez, 70 anos, bispo auxiliar de San Salvador, tem uma paixão enorme pela visão profética de Óscar Romero, de quem foi muito próximo. De tal forma, que na saca de pano que transporta para todo o lado, leva sempre algo relacionado com o arcebispo, morto a tiro em El Salvador, em 1980. Fátima Missionária a doutrina de Óscar Romero continua a ser uma inspiração para si e para a Igreja? Gregório Rosa Chávez Há uma grande semelhança entre a missão do Papa Francisco e a missão de monsenhor Romero, tanto sobre a Igreja, como sobre Deus e sobre a libertação do ser humano. Estamos no melhor momento do processo de beatificação com o novo Papa. FM Processo que esteve bloqueado durante anos GRC Há duas informações que veem do postulador da causa. Uma, que não foi tornada pública, sobre uma conversa com Bento XVI, em que ele terá dito que devia desbloquear-se o processo da beatificação de Romero. a outra, que todos conhecem, foi quando o postulador anunciou na homilia, no quarto domingo de Páscoa, que o Papa havia mandado desbloquear o processo. FM agora há condições para que a beatificação se torne uma realidade? GRC Não está claro o que significa desbloquear a causa e há uma discussão sobre isso. O que está claro para mim é que o Papa Francisco, antes de ser Papa, havia expressado a sua admiração por Romero, a quem considerava um santo e um mártir. Conta-se até uma história, que um sacerdote salvadorenho, em 2007, durante a reunião dos bispos da américa Latina, perguntou ao cardeal Bergoglio o que pensava ele de Romero, e que ele respondeu: para mim é um santo e um mártir, se eu fosse Papa, já o tinha canonizado. Não há dúvida que o Papa Francisco tem uma simpatia muito especial por Romero, pelo que este é o melhor momento para que esta causa possa ganhar velocidade e chegar rapidamente ao final. FM Um final adiado pela falta de consenso na Igreja em relação à figura do arcebispo… GRC Romero é um santo incómodo. Um santo que nos obriga a reconhecer que somos medíocres, que necessitamos de conversão, que nos desinstala e obriga a tomar opções. Não é um santo como Madre Teresa de Calcutá, é um profeta, que nos impele a rever a forma como estamos a viver o nosso profetismo na Igreja. É um santo que muitos quiseram manter longe. Necessitamos de santos assim na Igreja de hoje. O Papa Francisco é um profeta do estilo de Romero, pelo que a atualidade da sua mensagem é inquestionável. FM Como está agora El Salvador? GRC Primeiro,é preciso recordar que tivemos o mesmo partido no governo durante 20 anos. Um partido liderado por Roberto D’aubuisson, o homem que organizou o assassinato de Romero, portanto, 20 anos sem que tenha havido interesse em fomentar a sua imagem. E estamos há quatro anos com um novo governo e um novo Presidente [Mauricio Funes], de esquerda, que no dia em que ganhou as eleições disse ao país: Romero é o modelo que quero seguir. Ou seja, um governo com muito sentido social e com uma clara opção por Romero. O Presidente, aliás, vai reunir-se nos próximos dias com o Papa Francisco e na agenda leva uma mensagem de apoio à beatificação de Romero. É um tempo novo e isso também faz parte da preparação do país para o momento em que o Papa decida que chegou o momento da beatificação. FM acha que a generalidade dos cristãos sabe quem foi Óscar Romero? GRC Ele é o mártir do século XX mais conhecido e invocado no mundo inteiro. Onde quer que vá e fale em El Salvador, as pessoas dizem Romero. Na próxima Jornada Mundial da Juventude, no Brasil, quando se falar em El Salvador, toda a gente vai gritar Romero. É um santo universal, como Francisco de assis. FM Que imagem quer deixar dele em Portugal? GRC Resumo em quatro palavras. Primeiro era um sacerdote: veja-se como morreu, no altar, no momento do ofertório. Era um pastor, um profeta, e um mártir, alguém que ofereceu a vida por Cristo, pela Igreja e pelo seu povo. Portanto, sacerdote, profeta, pastor e mártir, esse é Romero. FM O facto de ninguém ter sido condenado pelo assassinato provoca tristeza nos salvadorenhos? GRC Houve uma Comissão da Verdade, criada ao abrigo do acordo de paz, que investigou a fundo o assassinato de Romero e produziu um relatório muito completo e profissional, que diz que o assassinato foi organizado pelo fundador do partido arena, que depois esteve no poder durante 20 anos. Só não se sabe quem disparou. E para se exercer o perdão, é preciso conhecer a verdade.