O número de pessoas que necessitam de assistência, como resultado da guerra Síria, é agora de 8,3 milhões, o que representa cerca de 38 por cento da população do país. Há gente nos países vizinhos mas também em território sírio que clama por ajuda
O número de pessoas que necessitam de assistência, como resultado da guerra Síria, é agora de 8,3 milhões, o que representa cerca de 38 por cento da população do país. Há gente nos países vizinhos mas também em território sírio que clama por ajuda São 8,3 milhões de sírios – um valor que inclui cerca de 6,8 milhões em necessidade no interior do país e 1,5 milhões de pessoas que procuraram refúgio nos países vizinhos, contabilizou Panos Moumtzis, o coordenador regional para os Refugiados da Síria do alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (aCNUR).
a situação nos países vizinhos e o movimento de refugiados através da fronteira é, obviamente, uma consequência direta do aumento do nível de insegurança dentro da Síria e em particular nas regiões em conflito, sublinhou o responsável numa conferência de imprensa em Genebra.
as necessidades têm crescido rapidamente na Síria, onde mais de 70 mil civis perderam a vida desde que se iniciou o levantamento popular que procurou derrubar o presidente Bashar al-assad, em março de 2011. Fazer chegar comida aos deslocados é cada vez mais difícil – e mais perigoso para o pessoal das agências humanitárias.
O gabinete da ONU para a Coordenação de assuntos Humanitários (OCHa) classificou a situação na Síria de catástrofe humanitária. O OCH a advertiu ainda que o financiamento para responder neste capítulo não manteve o ritmo necessário para fazer face ao crescimento do número de deslocados e refugiados.