Setor da construção na Costa do Marfim está a atrair cada vez mais investidores estrangeiros, depois do governo ter anunciado como prioritária a construção de pelo menos 60 mil habitações sociais, até 2015
Setor da construção na Costa do Marfim está a atrair cada vez mais investidores estrangeiros, depois do governo ter anunciado como prioritária a construção de pelo menos 60 mil habitações sociais, até 2015 Uma empresa de construção civil chinesa anunciou a intenção de construir 10 mil vivendas populares, na Costa do Marfim, e juntou-se às duas empresas marroquinas e uma norte-americana que estão a investir no mercado imobiliário marfinense, uma das bandeiras apresentadas na campanha eleitoral pelo atual Presidente, alassane Ouattara. O governo estabeleceu como prioridade a contrução de 60 mil habitações sociais, até 2015. Numa visita a abidjan, o diretor geral da construtora chinesa, citado pela agênica Misna, disse estar preparado para investir no país mil milhões de dólares (cerca de 770 milhões de euros), nos próximos cinco anos. Estamos prontos para construir 10 mil casas populares, no âmbito do programa do governo para esse setor, declarou o responsável. O contrato será assinado nas próximas semanas. De acordo com os dados disponibilizados pelo governo da Costa do Marfim, o crescimento populacional registado a cada ano faz com sejam necessárias pelo menos 400 mil novas habitações, metade delas na capital do país, abidjan.