«Invocai com mais frequência o Espírito Santo, para que Ele vos guie pela estrada dos discípulos de Cristo, aos quais se pede que sejam cristãos em todas as circunstâncias e escolhas da vida», disse o Papa
«Invocai com mais frequência o Espírito Santo, para que Ele vos guie pela estrada dos discípulos de Cristo, aos quais se pede que sejam cristãos em todas as circunstâncias e escolhas da vida», disse o Papa a poucos dias do Domingo de Pentecostes, o Santo Padre, na audiência geral desta quarta-feira, dia 15, debruçou-se sobre o tema do Espírito Santo, dizendo que é Ele que guia a Igreja e cada um dos fiéis para a Verdade. O Espírito Santo, como promete Jesus, guia-nos para toda a verdade, guia-nos não só ao encontro com Jesus, plenitude da Verdade, mas guia-nos dentro da Verdade. Faz-nos entrar numa comunhão cada vez mais profunda com o próprio Jesus, dando-nos a inteligência das coisas de Deus. E esta não a conseguimos atingir com as nossas forças. Se Deus não nos iluminar interiormente, o nosso ser cristãos será superficial. Prosseguiu dizendo que a ação do Divino Paráclito consiste em recordar e imprimir no coração dos fiéis as Palavras de Jesus, fazendo com que estas se transformem em princípio e guia da vida cristã. É do íntimo de nós mesmos que nascem as nossas ações; é o coração que deve converter-se a Deus, e o Espírito Santo transforma-o se nos abrirmos a Ele. Perguntemo-nos: estou aberto à acção do Espírito Santo, rezo para que me dê luz, me torne mais sensível às coisas de Deus?, continuou o Santo Padre, procurando descer à vida prática dos ouvintes. O Papa relacionou o tema com o ano da Fé e a necessidade de seguir o exemplo de Nossa Senhora que se deixou inundar pela luz do Espírito Santo: procurando conhecer mais a Cristo e as verdades da fé, meditando a Sagrada Escritura, estudando o Catecismo e aproximando-se com mais frequência dos sacramentos. Papa Francisco, na sua mensagem na rede social Twitter, insistiu no tema da defesa da vida: É Deus que dá a vida. Respeitemos e amemos a vida humana, especialmente a vida indefesa no ventre de sua mãe.