O primeiro-ministro turco vai pedir ao Presidente dos Estados Unidos da américa que tome uma atitude mais firme para evitar que o conflito se alastre na Síria. O número de mortos desde o início da revolta já ultrapassa os 94 mil
O primeiro-ministro turco vai pedir ao Presidente dos Estados Unidos da américa que tome uma atitude mais firme para evitar que o conflito se alastre na Síria. O número de mortos desde o início da revolta já ultrapassa os 94 mil antes de viajar para os Estados Unidos da américa (EUa), onde se vai reunir quinta-feira, 16 de maio, com o Presidente Barack Obama, o primeiro-ministro da Turquia, Tayyip Erdogan, afirmou que vai pedir ao líder norte-americano para tomar uma atitude mais firme no conflito sírio e impedir que a guerra civil se alastre aos países vizinhos. O acordo de Genebra, concluído em 30 de junho de 2012, previa um governo de transição na Síria, mas nunca chegou a ser aplicado. Neste sentido, Erdogan pretende abordar com Obama os passos que podem ser dados para pôr fim ao confronto entre as forças da oposição e as tropas fiéis ao regime de Bashar al-assad. a visita do primeiro-ministro turco aos EU a acontece dias depois do duplo atentado numa cidade que faz fronteira com a Síria, em que morreram 51 pessoas. ancara acusa o regime de Baschar al-assad de estar por detrás do ataque, como retaliação pelo apoio turco à rebelião síria. Na terça-feira, 14 de maio, um novo relatório divulgado pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), apontava para mais de 94 mil o número de mortos no conflito, iniciado em março de 2011. a revolta começou com manifestações pacíficas, que foram reprimidas com violência, transformando-se numa guerra civil que, de acordo com a ONU, já provocou 4,2 milhões de deslocados e 1,4 milhão de refugiados.