Negócio movimenta mais de 24 mil milhões de euros e atinge 2,4 milhões de pessoas por ano. a comunidade internacional tem que trabalhar junta para combater esta forma de escravatura moderna, pedem os responsáveis das Nações Unidas
Negócio movimenta mais de 24 mil milhões de euros e atinge 2,4 milhões de pessoas por ano. a comunidade internacional tem que trabalhar junta para combater esta forma de escravatura moderna, pedem os responsáveis das Nações Unidas a assembleia-geral das Nações Unidas lançou um apelo à comunidade internacional para se unir em torno de medidas eficazes que permitam pôr fim ao tráfico de seres humanos, um negócio que movimenta mais de 24 milhões de euros por ano e afeta perto de 2,4 milhões de pessoas. Não se podem poupar a esforços para acabar com estas formas de escravatura que afetam milhões e para ajudar as vítimas a reconstruir as suas vidas, afirmou o presidente da assembleia-Geral, Vuc Jeremic, durante um debate sobre tráfico de pessoas, na ONU, em Nova Iorque, Estados Unidos da américa. O dirigente, citado pela agência Lusa, sublinhou que, para acabar com o tráfico humano, é necessária uma ação coordenada de forças de segurança, agentes alfandegários, inspetores de trabalho, juízes, fiscais e diplomatas, bem como uma maior sensibilidade para com as vítimas. O tráfico de seres humanos é um ciclo vicioso que une as vítimas com os criminosos. Devemos romper esse ciclo com a força da solidariedade humana, acrescentou o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, insistindo na importância de ouvir as vítimas. Cerca de 58 por cento dos casos de tráfico de pessoas destina-se a exploração sexual e 36 por cento a exploração laboral.