Carta aberta de indonésio ao Presidente do seu país pede-lhe que este salve o último lugar na Terra onde «orangotangos, rinocerontes, elefantes e tigres ainda vivem juntos». Os sí­mios estão em extinção, pelo que importa «salvar este habitat único»
Carta aberta de indonésio ao Presidente do seu país pede-lhe que este salve o último lugar na Terra onde «orangotangos, rinocerontes, elefantes e tigres ainda vivem juntos». Os sí­mios estão em extinção, pelo que importa «salvar este habitat único»Na carta, divulgada na rede social da avaaz.org, uma organização de direitos humanos, Rudi Putra é direto: Moro e trabalho no último lugar da Terra onde os orangotangos em extinção, rinocerontes, elefantes e tigres ainda vivem juntos – mas que vai ser destruído aos pedaços, a não ser que o nosso Presidente ouça o nosso apelo e dê passos para salvar este habitat único. Empresas de minério, companhias petrolíferas e de óleo de palmeira estão na linha da frente dos planos de destruição daquilo que o ativista indonésio apelida de uma das florestas mais puras e intocadas da Indonésia. É neste cenário que um governador local quer deixar aquelas empresas atuarem e dizimarem uma área do tamanho de um milhão de campos de futebol. O Ministério das Florestas indonésio prepara-se, segundo a avaaz.org, para aceitar este projeto, a menos que o Presidente [do país, Susilo Bambang Yudhoyono] rejeite este plano para matar orangotangos. Para os ativistas, é preciso atuar já, assinando uma petição urgente e dando a conhecer a todos sobre esta ameaça mortal para a floresta. E o objetivo é chegar a um milhão de pessoas, nos próximos três dias, para que Susilo Bambang Yudhoyono ouça.