Membros da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras estão a aplicar dois programas de saúde materna e infantil na Etiópia
Membros da organização humanitária Médicos Sem Fronteiras estão a aplicar dois programas de saúde materna e infantil na EtiópiaEm aroressa, uma região montanhosa da Etiópia onde os centros de saúde e os profissionais qualificados são escassos, as taxas de mortalidade materna e infantil são altas, e a população enfrenta graves problemas de saúde. além disso, o terreno montanhoso dificulta a movimentação das mulheres grávidas até o centro de saúde mais próximo, que pode ficar até 20 quilómetros de distância.

as equipas dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) que trabalham no local já se depararam com muitas pessoas a transportar doentes ou mulheres grávidas para o centro de saúde. Muitas vidas foram perdidas nestas penosas jornadas, referem os MSF em comunicado. Para reduzir as taxas de mortalidade materna e infantil, os membros da organização humanitária estruturaram duas casas de acolhimento para parturientes.

Os novos espaços acolhem mulheres com com gravidezes avançadas, que vivem em povoações distantes, ou que apresentem situações que obrigam a uma atenção constante. Nas casas de acolhimento, estas são examinadas pela equipa dos MSF e mantidas sob observação regular para que, em caso de necessidade de tratamento urgente, uma medida imediata possa ser tomada. atualmente, cada espaço tem capacidade para abrigar 20 mulheres.

Desde que foi inaugurada uma das casas de acolhimento, no último trimestre de 2012, 251parturientes foram assistidas. a maioria dessas mulheres caminha cerca de oito horas até às casas de acolhimento porque sabem que os MSF estão aqui e que vão receber cuidados de qualidade, explicou Eva Dominguez, enfermeira e obstetra dos MSF em aroressa, em declarações aos serviços de comunicação da organização.

através das casas de acolhimento, os Médicos Sem Fronteiras pretendem estimular as mulheres a procurarem assistência médica durante o parto, reduzindo a taxa de mortalidade materna e infantil na região. Em ambos os centros de saúde são oferecidos serviços de pré e pós-natal, planeamento familiar e assistência médica e psicológica a vítimas de violência sexual.