Grupo rebelde capturou quatro militares das Nações Unidas nos Montes Golã. Os soldados patrulhavam a zona de separação entre a Síria e Israel, no âmbito das operações de manutenção da paz
Grupo rebelde capturou quatro militares das Nações Unidas nos Montes Golã. Os soldados patrulhavam a zona de separação entre a Síria e Israel, no âmbito das operações de manutenção da paz É o segundo incidente do género no espaço de dois meses, fruto da tensão entre a Síria e Israel. Na terça-feira, 7 de maio, quatro capacetes azuis da ONU, que estavam numa missão de observação de manutenção da paz, foram sequestrados por um grupo de homens armados, nos Montes Golã. O sequestro foi reivindicado pelo movimento rebelde Brigada dos Mártires de Yarmouk. Na sua página no Facebook, os insurgentes alegam que os militares estão retidos para sua segurança. O comando da Brigada dos Mártires de Yarmouk anuncia uma operação destinada a dar segurança e a proteger as forças das Nações Unidas em Wadi Yarmouk, na zona entre a Síria e os Montes Golã, refere a mensagem, ilustrada com a foto dos quatro observadores. Segundo os rebeldes, a ofensiva de soldados do regime de Bashar al-assad e o aumento dos combates na área colocam em risco a segurança dos militares da ONU, o que obrigou a uma intervenção para tirá-los do meio. O sequestro ocorreu na mesma zona onde em março tinham sido capturados 21 capacetes azuis. Josephine Guerrero, porta-voz das forças de paz, disse que estão a ser feitas negociações para libertação dos militares.