O Tribunal Penal Internacional adiou o julgamento do vice-presidente do Quénia e de um ex-apresentador de rádio. ambos estão acusados de envolvimento na campanha de violência pós-eleitoral, em 2007
O Tribunal Penal Internacional adiou o julgamento do vice-presidente do Quénia e de um ex-apresentador de rádio. ambos estão acusados de envolvimento na campanha de violência pós-eleitoral, em 2007 a audiência do processo contra o vice-presidente queniano, William Ruto, e o ex-apresentador de rádio Joshua arap Sang, que estava marcada para 28 de maio, foi adiada pelos juízes do Tribunal Penal Internacional, para uma data ainda a definir. as partes interessadas serão ouvidas no próximo dia 14 e só depois desta sessão será anunciada a nova data do julgamento. Os dois arguidos estão acusados de liderar a campanha de violência que se seguiu às eleições de dezembro de 2007 e lançou o caos no país durante três meses. Nos confrontos morreram mais de 1. 300 pessoas e mais de 300 mil ficaram desalojadas. apesar das acusações, Ruto foi eleito vice-presidente pelo Presidente Uhuru Kenyatta, que também está a ser investigado por alegado envolvimento no conflito. Na audição prévia, na próxima semana, os juízes irão avaliar, entre outras diligências, se dão provimento ao pedido da acusação para juntar mais cinco testemunhas à lista das que foram inicialmente registadas para depor.