Cerca de oito mil famílias nos territórios palestinianos ocupados vão ter empregos e receber empréstimos para pequenas empresas, anunciou a agência de Desenvolvimento das Nações Unidas. Uma iniciativa para as tornar autossuficientes

Cerca de oito mil famílias nos territórios palestinianos ocupados vão ter empregos e receber empréstimos para pequenas empresas, anunciou a agência de Desenvolvimento das Nações Unidas. Uma iniciativa para as tornar autossuficientes
Uma parceria das Nações Unidas e da autoridade Palestina e financiada pelo Banco Islâmico de Desenvolvimento (BID) quer dar emprego aos membros de oito mil famílias palestinianas, nos territórios ocupados. Este projeto avança ainda com empréstimos para pequenas empresas. Os 50 milhões de dólares [investidos] irão para o trabalho em curso com o Programa DEEP [Deprived Families Economic Empowerment Programme, no original em inglês, que joga com a palavra ‘profundidade’ e que visa dar poder económica a famílias privadas’ economicamente]. Esta iniciativa pode mudar a vida de milhares de famílias pobres palestinianas, ajudando os membros dessas famílias a tornarem-se autossuficientes, segundo uma nota de imprensa do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD). Os projetos com duração de 30 meses do DEEP envolvem organizações não governamentais e instituições de microcrédito para prestação de serviços financeiros e não financeiros, que pretende atender às necessidades das famílias pobres e muito pobres na Palestina, incluindo assistência técnica e pequenos empréstimos. O programa recebe financiamento adicional dos governos do Japão, da Nova Zelândia e da Suécia.