Milhares de manifestantes saíram à rua para exigir a pena capital para quem desrespeitar o Islão. Os confrontos com a polícia provocaram duas dezenas de mortos e centenas de feridos
Milhares de manifestantes saíram à rua para exigir a pena capital para quem desrespeitar o Islão. Os confrontos com a polícia provocaram duas dezenas de mortos e centenas de feridos Uma manifestação de radicais islâmicos resultou este domingo, 5 de maio, em violentos confrontos com a polícia, na capital do Bangladesh. Duas dezenas de pessoas morreram e centenas ficaram feridas. Os manifestantes exigiam a adoção da pena de morte para quem faltar ao respeito ao Islão e uma educação islâmica mais rígida, reivindicações que o governo recusa atender, alegando que o país vive uma democracia secular. O primeiro-ministro Sheikh Hasina, que lidera o governo desde 2009, rejeitou as exigências dos islamitas, argumentando que a legislação atual já permite condenar qualquer pessoa que insulte o Islão. Recorde-se que no Bangladesh a maioria da população é muçulmana. No mês passado, os militantes do grupo radical Hefajat-e-Islam, recentemente criado, organizaram uma greve geral e uma concentração que contou com centenas de milhares de pessoas, consideradaa maior das últimas décadas. Na manifestação deste domingo terão participado perto de 200 mil pessoas.