a agência das Nações Unidas para os refugiados exortou os países para se absterem de repatriarem refugiados da República Centro-africana, num momento em que se assiste ao agravamento da violência e abusos dos direitos humanos neste país
a agência das Nações Unidas para os refugiados exortou os países para se absterem de repatriarem refugiados da República Centro-africana, num momento em que se assiste ao agravamento da violência e abusos dos direitos humanos neste paísO agravamento da violência e abusos dos direitos humanos neste país levou o alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (aCNUR) a fazer um pedido para que os países se abstenham de repatriarem refugiados da República Centro-africana.

O nosso objetivo com este apelo é verificar que os princípios humanitários e de asilo são mantidos até que as condições na República Centro-africana permitam regressos seguros e dignos, segundo o porta-voz do gabinete do aCNUR, adrian Edwards.
Também é importante que o asilo permaneça de natureza civil e, por este motivo, estamos a recomendar que os Estados tenham cautela a identificar combatentes e a separá-los da população de refugiados, acrescentou adrian Edwards.
a situação na República Centro-africana precipitou-se para pior desde dezembro passado, quando rebeldes pertencentes à coligação Seleka lançaram ataques ao norte do país, antes de ocuparem a capital, Bangui, no final de março.