a crise de deslocados provocada pelo conflito na Síria está a exigir cada vez mais esforços dos serviços de saúde dos países vizinhos. E os refugiados encontram dificuldades para terem acesso aos tratamento de qualidade de que necessitam
a crise de deslocados provocada pelo conflito na Síria está a exigir cada vez mais esforços dos serviços de saúde dos países vizinhos. E os refugiados encontram dificuldades para terem acesso aos tratamento de qualidade de que necessitam a agência de refugiados das Nações Unidas lançou a advertência num relatório divulgado este domingo, de que se exige cada vez mais aos serviços de saúde dos países vizinhos da Síria. O relatório, que abrange os três primeiros meses de 2013 no Iraque, Jordânia e Líbano, mostra que mais de um milhão de refugiados necessita de tratamento a uma ampla variedade de doenças relacionadas com as condições e o conflito, explicou adrian Edwards, porta-voz do alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (aCNUR). De acordo com esta fonte, a situação é particularmente difícil para os que têm situações crónicas de saúde ou tratamentos dispendiosos, como são a diabetes, a hipertensão e as doenças cardiovasculares, bem como cuidados de referência mais facilmente diagnosticados e tratados em países de rendimentos médios. O relatório baseou-se principalmente em dados recolhidos em campos de refugiados, exceto para as informações do Líbano.