Uma responsável das Nações Unidas expressou a sua profunda preocupação com relatos de violações generalizadas cometidas pela coligação rebelde Séléka contra crianças, incluindo assassinatos, violência sexual e o seu recrutamento para grupos armados
Uma responsável das Nações Unidas expressou a sua profunda preocupação com relatos de violações generalizadas cometidas pela coligação rebelde Séléka contra crianças, incluindo assassinatos, violência sexual e o seu recrutamento para grupos armados Leila Zerrougui, representante especial do secretário-geral da ONU para as Crianças e Conflitos armados, aconselhou os comandantes militares responsáveis pelos diferentes grupos armados da coligação Séléka, na República Centro-africana, a libertarem imediatamente as crianças nas suas fileiras. a presença de crianças na aliança Séléka tem sido relatada em quase todas as cidades sob controlo da coligação. Meninos, fardados e armados, foram vistos a patrulhar, a participar em checkpoints’ e a realizar saques por todo o país, segundo Leila Zerrougui. Tem havido ataques generalizados contra civis e violações dos direitos humanos desde que a coligação rebelde lançou uma ofensiva em dezembro. apesar de um acordo de paz acordado em janeiro, os rebeldes anunciaram, posteriormente, que se retiravam desse acordo de cessar-fogo e retomaram os seus ataques, tomando a capital, Bangui, no mês passado.