edifício de oito andares abrigava várias unidades de confeção têxtil, lojas e apartamentos. Mais de um milhar de pessoas sofreu ferimentos e as autoridades admitem que podem estar mais vítimas soterradas

edifício de oito andares abrigava várias unidades de confeção têxtil, lojas e apartamentos. Mais de um milhar de pessoas sofreu ferimentos e as autoridades admitem que podem estar mais vítimas soterradas

O que sobrou do Rana Plaza, um prédio de oito andares situado nos arredores de Dacca, capital do Bangladesh, parece o resultado de um violento terramoto. O desabamento, registado quarta-feira, 24 de abril, provocou a morte a pelo menos 127 pessoas e deixou feridas mais de mil. Mas os números da tragédia ainda podem aumentar, pois as equipas de socorro destacadas no terreno admitem a possibilidade da existência de mais vítimas na montanha de escombros e ferros retorcidos. O edifício era ocupado por várias fábricas de confeção, lojas, apartamentos e um banco. ao todo, trabalhavam nos oito pisos perto de 5. 000 pessoas. Na terça-feira à noite, alguns funcionários têxteis alertaram publicamente para o aparecimento de fissuras no imóvel, o que provocou o pânico entre os trabalhadores. alguns saíram em pânico para a rua mas foram obrigados a voltar ao trabalho pelos chefes. Uma hora depois deu-se a derrocada. O prédio todo desabou em minutos. a maioria dos trabalhadores não teve oportunidade de escapar, disse à agência France Press o chefe do Departamento Nacional de Incêndios, ahmed ali. Segundo o ministro do Interior, Muhiudin Khan, o edifício foi construído sem respeitar a legislação vigente. Dada a quantidade de entulho, prevê-se que os trabalhos de busca e salvamento se prolonguem pelos próximos dias. Uma das fábricas que funcionava no local informa no seu site que trabalha para a empresa espanhola Mango e para a italiana Benetton. a indústria têxtil do Bangladesh é a segunda maior do mundo e abastece sobretudo marcas ocidentais de baixo custo. Mas o setor é muito criticado por não respeitar as normas de segurança. Em novembro de 2012, um incêndio numa indústria têxtil matou 111 pessoas nos subúrbios de Dacca, adianta a aFP.