Jornada da Juventude das Paróquias da Vigararia Norte da Diocese de Inhambane juntou perto de 400 jovens em Inhassoro, Moçambique. Bispo aproveitou para lhes pedir que sejam instrumentos da paz
Jornada da Juventude das Paróquias da Vigararia Norte da Diocese de Inhambane juntou perto de 400 jovens em Inhassoro, Moçambique. Bispo aproveitou para lhes pedir que sejam instrumentos da pazFoi um momento forte de reflexão e oração, onde não faltaram atividades culturais e os jovens puderam mostrar os seus dotes artísticos. O tema do encontro foi a missão: Ide e fazei discípulos entre todas as nações. através de testemunhos de vida, teatro, poesia, canto e dança, os jovens de cada paróquia manifestaram o modo como vivem a missão entre os jovens. Claramente, afirmaram que são igreja, que são o rosto jovem da mesma. No seu dia a dia procuram dar testemunho de Jesus. a reflexão feita na preparação para este encontro, ajudou-os a perceber que o fazer discípulos é a sua missão, convidando outros a anunciar o Evangelho, sendo o sal da terra e a luz do mundo. Reconheceram que nem sempre a missão é vivida na certeza, pois muitas vezes o medo é mais forte do que a fé. Mas a certeza da presença de Deus nas suas vidas, não os leva a desistir de tentar ser discípulos e animando outros a sê-lo. O centro do encontro foi a celebração eucarística solene, presidida pelo bispo de Inhambane. a nova e bonita igreja paroquial de Santo Eusébio de Inhassoro estava repleta de jovens que animaram com grande vivacidade e criatividade a liturgia, com cantos e danças. adriano Langa convidou os jovens das paróquias de Nova Mambone, Maimelane, Inhassoro, Vilanculos, Mapinhane e Muvamba a refletir sobre a situação atual de Moçambique. Pediu para que estejam vigilantes e não se deixem seduzir por aqueles que fazem apelo à violência e à guerra. apelou a que sejam instrumentos da paz e denunciou energicamente todas as tentativas feitas no debate político para aliciá-los para atos de intolerância e violência. E aconselhou-os, mais uma vez, a darem o melhor de si mesmos na construção de um Moçambique mais próspero, justo e pacífico, como é afinal a missão de cada cristão.