Estavam em missão humanitária na província de aleppo quando foram intercetados por um grupo de homens armados. O diácono que os acompanhava foi morto. O Papa pede a libertação imediata dos prelados
Estavam em missão humanitária na província de aleppo quando foram intercetados por um grupo de homens armados. O diácono que os acompanhava foi morto. O Papa pede a libertação imediata dos prelados O Papa Francisco apelou esta terça-feira, 23 de abril, à libertação imediata dos dois bispos ortodoxos, raptados no início da semana por um grupo de homens armados, quando prestavam ajuda humanitária na aldeia de Kafr Dael, província de aleppo, na Síria. O motorista dos prelados e diácono da paróquia foi morto durante o rapto. Segundo um comunicado divulgado pela Sala de Imprensa do Vaticano, o Papa está a seguir os acontecimentos com profundo envolvimento e intensa oração pela saúde e a libertação dos dois bispos raptados e para que, com o empenho de todos, o povo sírio possa finalmente ver respostas eficazes ao drama humano. Paulo Yazigi, da Igreja greco-ortodoxa e arcebispo de aleppo, e Gregorios Ibrahim, da Igreja siro-ortodoxa, são duas das personalidades mais destacadas da comunidade cristã da região. apesar de nenhum grupo ter ainda reivindicado o ataque, fontes citadas pela agência Misna apontam o dedo ao mesmo grupo que sequestrou quatro jornalistas italianos recentemente, e que é dado como próximo da al-Qaeda.