Papa envia carta aos bispos da argentina a pedir desculpa por não poder participar na assembleia plenária da Conferência Episcopal e a reforçar o pedido para que todos trabalhem para uma Igreja missionária
Papa envia carta aos bispos da argentina a pedir desculpa por não poder participar na assembleia plenária da Conferência Episcopal e a reforçar o pedido para que todos trabalhem para uma Igreja missionária Uma Igreja que não sai, mais cedo ou mais tarde adoece na atmosfera viciada de seu confinamento. Também é verdade que uma Igreja que sai pode acontecer o mesmo quando uma pessoa vai para a rua: sofrer um acidente. Perante esta alternativa, quero lhes dizer francamente que prefiro mil vezes uma Igreja acidentada a uma Igreja doente, escreveu o Papa Francisco, na carta que enviou aos bispos a argentina. Na missiva, o Sumo Pontífice pediu desculpa por não poder participar na assembleia plenária da Conferência Episcopal devido aos compromissos assumidos há pouco, e reafirmou o apelo ao empenho missionário à luz do Evangelho. Que toda a pastoral seja feita em chave missionária, sublinhou o Papa, realçando a necessidade do clero sair dos templos e ir ao encontro dos fiéis. a enfermidade típica da Igreja confinada é ser autorreferencial; olha para si mesma, inclina-se sobre si mesma. É uma espécie de narcisismo que nos leva ao mundanismo espiritual e ao clericalismo sofisticado, e portanto nos impede de experimentar a doce reconfortante alegria de evangelizar, acrescentou Francisco. No final, o Papa pediu aos bispos para rezarem por ele, para que não fique snobe e que consiga sempre escutar o que Deus quer.