a agência de refugiados das Nações Unidas e o Governo do Uganda lançaram projeto-piloto de tribunal móvel para melhorar o acesso à justiça e a assistência jurídica às vítimas de crimes em Nakivale, o maior e mais antigo campo de refugiados no país

a agência de refugiados das Nações Unidas e o Governo do Uganda lançaram projeto-piloto de tribunal móvel para melhorar o acesso à justiça e a assistência jurídica às vítimas de crimes em Nakivale, o maior e mais antigo campo de refugiados no país
a nossa esperança é que os tribunais móveis acelerem o tempo com que os processos são julgados e sirvam para deter o crime, trazendo os advogados e um magistrado diretamente junto dos refugiados e ugandeses no campo, sublinhou o porta-voz do alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (aCNUR), adrian Edwards, perante jornalistas em Genebra. O projeto, lançado na segunda-feira, pretende beneficiar cerca de 68 mil refugiados e 35 mil cidadãos do Uganda, em Nakivale, que fica a cerca de 50 quilómetros do tribunal mais próximo em Kabingo, Isingiro. a primeira sessão de segunda-feira foi presidida por um magistrado que ouviu diferentes queixas, incluindo roubos, conflitos de terras, corrupção, tentativa de homicídio e acusações de violência sexual e de género. Nas sessões seguintes serão jugados crimes de furto e homicídios, acrescentou Edwards.