O Papa Francisco, esta manhã, dia 14, no Vaticano, lembrou os cristãos que são perseguidos em todo o mundo, e pediu aos católicos «franqueza e coragem» no anúncio da sua fé
O Papa Francisco, esta manhã, dia 14, no Vaticano, lembrou os cristãos que são perseguidos em todo o mundo, e pediu aos católicos «franqueza e coragem» no anúncio da sua féRezemos em particular pelos cristãos que sofrem perseguições: neste tempo há muitos cristãos que sofrem perseguições, muitos, muitos, em muitos países. Rezemos por eles, com o amor do nosso coração, para que sintam a presença viva e reconfortante do Senhor ressuscitado, disse o Santo Padre durante a oração do Regina Coeli pascal. Partindo da primeira leitura do 3º Domingo da Páscoa, Francisco refletiu sobre as dificuldades sentidas pelas primeiras comunidades cristãs e disse que o seu exemplo é válido para a Igreja de todos os tempos. Convidou a todos a comunicar a experiência da presença de Jesus Ressuscitado: Quando uma pessoa conhece verdadeiramente Jesus Cristo e acredita nele, experimenta a sua presença na vida e a força da ressurreição, não pode fazer outra coisa do que comunicar esta experiência. O amor fraterno é o testemunho mais próximo que podemos dar de que Jesus está connosco, vivo, de que Jesus ressuscitou, referiu o Santo Padre. E acrescentou que quando um cristão encontra incompreensões ou adversidades no anúncio de Cristo, deve comportar-se como Jesus e responder com o amor e a força da verdade. Peçamos a ajuda de Maria Santíssima para que a Igreja anuncie em todo o mundo, com franqueza e coragem, a ressurreição do Senhor e dê um testemunho válido com sinais de amor fraterno, concluiu o Papa, desejando a todos um bom domingo e um bom almoço.