Especialista independente da ONU considera que os grupos minoritários em África necessitam de proteção, e pede aos governos do continente para protegerem as populações mais vulneráveis
Especialista independente da ONU considera que os grupos minoritários em África necessitam de proteção, e pede aos governos do continente para protegerem as populações mais vulneráveisEm África, centenas de grupos minoritários necessitam de proteção, alertou Rita Izsák, relatora independente da Organização das Nações Unidas (ONU) para as questões das minorias. Durante a 53a sessão da Comissão africana sobre os direitos humanos e das pessoas que está a decorrer em Banjul, capital da Gâmbia, a especialista pediu aos governos do continente africano para protegerem as populações mais vulneráveis.
De acordo com esta responsável, o debate semântico entre o que são minorias e o que são povos indígenas não pode evitar que as autoridades lidem com a situação frágil das comunidades minoritárias por toda a região africana. Rita Izsák sublinhou que não são apenasgrupos minoritários étnicos que enfrentam problemas, mas também os religiosos e linguísticos.
O cumprimento dos direitos das minorias representa um fator essencial para evitar o surgimento de tensões e é um elemento chave de boa governação, destacou a especialista, citada pela Rádio ONU. Durante o encontro, a relatora afirmou estar confiante na continuidade do diálogo que permitirá fortalecer os esforços e as atenções com vista a proteger e a promover os direitos das minorias em África.