O Banco Mundial quer novos investimentos substanciais no setor agrí­cola para aumentar produção global em 70 por cento até 2050, de forma a reduzir a pobreza e a promover o crescimento
O Banco Mundial quer novos investimentos substanciais no setor agrí­cola para aumentar produção global em 70 por cento até 2050, de forma a reduzir a pobreza e a promover o crescimento a Conferência anual sobre a terra e a pobreza, realizada pelo Banco Mundial, está a decorrer esta semana, em Washington. O órgão anunciou já uma série de esforços com vista a garantir investimentos substanciais na agricultura, isto porque se estima que a produção agrícola global tenha de aumentar 70 por cento, tendo em conta as previsões que apontam para a existência de dois mil milhões de pessoas a precisar de ajuda alimentar até 2050.
a instituição defende que o desafio irá exigir novos investimentos no setor agrícola, para pequenos agricultores e grandes propriedades tanto do setor público como do privado. Para o presidente do órgão, Jim Yong Kim, devem existir esforços adicionais de modo a capacitar e a salvaguardar os direitos da terra. Segundo a Rádio ONU, o representante também pretende investimentos para formar a sociedade civil com vista a responsabilizar os governos.
Para o Banco Mundial, a falta da terra arável já faz com que especuladores e investidores explorem pequenos agricultores, pastores e indivíduos sem poder para lutar pelos seus direitos. Medidas como políticas sobre direitos à terra modernas, eficientes e transparentes são tidas como essenciais para reduzir a pobreza e promover o crescimento. a sua aplicação teria um efeito positivo na produção agrícola, na melhor nutrição e no desenvolvimento sustentável, considera o órgão.