Responsável político das Nações Unidas destacou a necessidade de combater desafios políticos, de governança e de segurança para ajudar a resolver a crise no país. Opções futuras passam por possível presença da ONU para garantir paz e segurança
Responsável político das Nações Unidas destacou a necessidade de combater desafios políticos, de governança e de segurança para ajudar a resolver a crise no país. Opções futuras passam por possível presença da ONU para garantir paz e segurança a ONU pode promover a paz e a segurança no Mali, com o eventual envio de uma missão de estabilização das Nações Unidas, sublinhou o seu secretário-geral Ban Ki-moon. Os desafios sérios e interligados com que se confronta o Mali exigirão esforços concertados e amplos por parte das autoridades malianas e do seu povo, juntamente com um apoio internacional significativo, afiançou o subsecretário-geral para os assuntos Políticos, Jeffrey Feltman, perante o Conselho de Segurança da ONU, ao informar este órgão de 15 membros sobre as propostas de Ban Ki-moon. Estas propostas vão mais além para procurarem responder às ameaças à segurança e requerem uma abordagem dos profundos desafios políticos, no campo humanitário, do desenvolvimento e da governança, que não são suscetíveis de uma qualquer solução fácil, acrescentou. No seu relatório sobre a situação no Mali, o secretário-geral da ONU propõe duas opções para o envolvimento das Nações Unidas no país, onde os combates, que se iniciaram em janeiro de 2012, já fizeram centenas de milhares de pessoas deslocadas e levaram o Governo de Bamaco a solicitar a assistência de tropas francesas para parar o avanço militar de grupos extremistas.