Forças de paz das Nações Unidas na República Democrática do Congo ofereceram proteção a cerca de 1500 civis, após novos confrontos entre tropas governamentais e um grupo rebelde armado.combates deixaram 11 mortos e pelo menos um ferido
Forças de paz das Nações Unidas na República Democrática do Congo ofereceram proteção a cerca de 1500 civis, após novos confrontos entre tropas governamentais e um grupo rebelde armado.combates deixaram 11 mortos e pelo menos um ferido a missão de paz da ONU na República Democrática do Congo (MONUSCO) revelou que os últimos combates entre as forças armadas congolesas (FaRDC) e a aliança de Patriotas por um Congo Livre e Soberano (aPCLS) mataram 11 rebeldes da aPCLS e provocaram ferimentos num soldado das FaRDC. Desde que começaram os confrontos, em fevereiro, dezenas de civis foram mortos, incluindo um trabalhador de agências humanitárias, já se verificaram centenas de feridos e milhares de deslocados. Muitos destes milhares que fugiram da violência procuraram refúgio em torno da base de manutenção de paz da ONU no Kitchanga. a MONUSCO afirmou que, depois dos combates de sexta-feira, 29 de março, a missão tem fornecido proteção a cerca de 1500 civis. O Conselho de Segurança tinha autorizado no final da semana passada o envio de uma brigada de intervenção no âmbito da atual operação de manutenção da paz das Nações Unidas na República Democrática do Congo, para tratar de ameaças iminentes à paz e segurança. Neste momento, a situação relatada é de calma, mas a missão da ONU continua a acompanhar os acontecimentos e a patrulhar a área, sublinhou o porta-voz das Nações Unidas Eduardo del Buey.