através da publicação de um decreto, o Santo Padre criou uma oportunidade para a beatificação de Sí­lvia Cardoso, uma portuguesa que se distinguiu em atividades sociais e que deixou as suas marcas em todo o país
através da publicação de um decreto, o Santo Padre criou uma oportunidade para a beatificação de Sí­lvia Cardoso, uma portuguesa que se distinguiu em atividades sociais e que deixou as suas marcas em todo o paísO Papa Francisco aprovou a publicação do decreto que reconhece as virtudes heroicas da portuguesa Sílvia Cardoso Ferreira da Silva (1882-1950), que se distinguiu em atividades de caráter social, informou esta quinta-feira, 28 de março, o Vaticano. Esta é uma etapa do processo que leva à proclamação de um católico como beato, e permite que, após o reconhecimento de um milagre atribuído à sua intercessão, tenha lugar a beatificação, penúltima etapa para a declaração da santidade. Conhecida por Dona Sílvia, estabenfeitora nasceu em Paços de Ferreira a 26 de julho de 1882. Depois de uma formação católica, dinamizou várias instituições, incluindo a Sopa dos Pobres (Penafiel), e deu prioridade à educação de crianças pobres e aos doentes, em várias regiões de Portugal. amiga de Guerra Junqueiro e Leonardo Coimbra, deixou artigos espirituais e dedicou-se a desenvolver casas de retiros. Sílvia Cardoso faleceu em Paços de Ferreira, a 2 de novembro de 1950, cidade onde se ergue uma estátua em sua homenagem. O processo de beatificação e canonização está em curso desde 6 de junho de 1984, tendo dado entrada na Congregação para as Causas dos Santos (Santa Sé) em 1992. a canonização é a confirmação, por parte da Igreja, que um fiel católico é digno de culto público universal e de ser apresentado aos fiéis como intercessor e modelo de santidade.