Nos últimos meses, as autoridades de saúde do Zimbábue registaram milhares de casos de febre tifoide. Os Médicos Sem Fronteiras estão a prestar apoio aos doentes e a garantir o fornecimento de água potável às populações, em parceria com entidades locais
Nos últimos meses, as autoridades de saúde do Zimbábue registaram milhares de casos de febre tifoide. Os Médicos Sem Fronteiras estão a prestar apoio aos doentes e a garantir o fornecimento de água potável às populações, em parceria com entidades locaisas pessoas que residem na cidade de Harare (Zimbábue) e nas regiões circundantes estão a enfrentar um pico de febre tifoide. De novembro de 2012 até o presente, as autoridades de saúde do país africano registaram mais de 3. 525 casos. a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) está a prestar apoio aos doentes em instalações de saúde, com quatro enfermeiros envolvidos no tratamento de pacientes em três policlínicas e num hospital, e através de dois técnicos de laboratório encarregados dos diagnósticos no Hospital Beatrice Road Infectious Disease, em Harare. O surto espalhou-se por mais de quatro subúrbios até o momento. Recentemente, os casos têm surgido em Mbare, uma das regiões de maior densidade de Harare, com um enorme mercado de alimentos que abastece todo o país. Se a epidemia não for contida aqui, pode proliferar facilmente, alerta Shackman Mapuranga, coordenador de emergência dos MSF, num comunicado da organização. atualmente, os MSF, em parceria com o Departamento de Saúde Municipal de Harare, estão a garantir o fornecimento de água potável às populações.