agência das Nações Unidas condenou este domingo a morte de cinco crianças refugiadas palestinianas na Síria e alertou para os efeitos devastadores que a crise está a ter sobre as crianças e jovens do país, mergulhado numa guerra civil há dois anos
agência das Nações Unidas condenou este domingo a morte de cinco crianças refugiadas palestinianas na Síria e alertou para os efeitos devastadores que a crise está a ter sobre as crianças e jovens do país, mergulhado numa guerra civil há dois anos Mohammad al-Khateeb, 14 anos, foi morto por uma bala, quando regressava para casa a pé, depois de comprar o pão numa padaria do seu bairro em Dera’a a 14 de março, segundo a agência das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina no Médio Oriente (UNRWa). Na terça-feira, Hisham Mahmoud, 10 anos, e Farhat Mubarak, 11, foram mortos no cruzamento das ruas Yazour e Safad, no Yarmouk, Damasco. Estavam a voltar para casa, depois das aulas num centro de aprendizagem gerido pela comunidade, quando um explosivo se detonou nas proximidades, matando-os instantaneamente. Num incidente separado no mesmo dia, dois irmãos, ali e abdullah Mijel Mijel foram mortos, juntamente com a sua tia e um primo quando um explosivo atingiu a sua casa na Rua Hittin, no Campo Sbeineh. Tinham 14 e 15 anos, respetivamente. a morte dessas crianças ocorreram no contexto da escalada de violência armada por toda a Síria, inclusive nos campos de refugiados palestinianos e nas áreas residenciais, sublinhou a UNRWa, em comunicado à imprensa, condenando as mortes e alertando para os efeitos que a guerra civil está a trazer aos mais pequenos.