Um grupo de matriarcas partiu de Madagáscar para a Índia com o objetivo de aprender técnicas de produção de energia renovável. Os conhecimentos adquiridos vão permitir às mulheres proporcionar energia solar a várias aldeias daquele país africano
Um grupo de matriarcas partiu de Madagáscar para a Índia com o objetivo de aprender técnicas de produção de energia renovável. Os conhecimentos adquiridos vão permitir às mulheres proporcionar energia solar a várias aldeias daquele país africanoSete mulheres idosas da ilha de Madagáscar partiram das suas aldeias rurais para a Índia para se tornarem engenheiras de energia solar. ao longo de seis meses, as matriarcas vão aprender técnicas de produção para que possam passar o testemunho à sua comunidade e proporcionar energia solar a várias aldeias. O programa, desenvolvido pelas organizações não governamentais (ONG) Barefoot College e World Wildlife Fund (WWF), pretende melhorar a qualidade de vida destas populações. Estes sistemas solares vão ser a fonte principal de iluminação das comunidades, que atualmente não têm outras formas de produção de energia que não sejam as fontes insustentáveis de querosene, diesel e de velhas baterias descartáveis, refere a WWF no seu site oficial. Jean-Philippe Denruyter, um dos responsáveis da organização, acredita que a utilização de energia solar vai permitir eliminar quase por completo a dependência destes compostos. as alunas serão acolhidas no Barefoot College, no estado indiano de Rajasthan, umainstituição de ensino que aposta na qualificação de mulheres de zonas rurais para a produção de sistemas elétricos alimentados com energia solar. até hoje, a organização conseguiu formar mais de 700 engenheiras nesta área. através deste programa, as duas organizações não governamentais pretendem garantir sistemas de eletricidade a 390 famílias em aldeias localizadas na área protegida da floresta de Madagáscar.