Responsáveis da ONU saudaram a rendição de um líder rebelde, procurado pelo Tribunal Internacional por crimes de guerra e contra a humanidade, cometidos na República Democrática do Congo, incluindo o recrutamento de crianças, assassinatos e violações
Responsáveis da ONU saudaram a rendição de um líder rebelde, procurado pelo Tribunal Internacional por crimes de guerra e contra a humanidade, cometidos na República Democrática do Congo, incluindo o recrutamento de crianças, assassinatos e violações Bosco Ntaganda entrou na Embaixada dos Estados Unidos no Ruanda e entregou-se na segunda-feira, 18 de março. De acordo com os relatos da comunicação social, este líder rebelde da República Democrática do Congo (RDC) pediu então para ser transferido para o Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia, na Holanda. a entrega de Bosco Ntaganda e a sua rápida transferência para o TPI vai ajudar a promover o processo de paz na RDC, sublinhou Roger Meece, o chefe da missão de paz da ONU na RDC (Monusco). E também irá enviar um sinal forte para os outros infratores de direitos humanos de que estão ao alcance da justiça. Num comunicado à imprensa, a missão também se congratulou com a decisão de os EU a em o transferir para o TPI, indiciado por sete acusações de crimes de guerra e três acusações de crimes contra a humanidade, alegadamente cometidos na província de Ituri, entre 2002 e 2003. Ntaganda é acusado de ser responsável pela utilização de crianças em conflitos armados e de atos como assassinatos, violações e escravidão sexual.