Os insurgentes da coligação Seleka arruinaram documentos importantes, incluí­ndo os arquivos com os registos dos cidadãos, durante a ofensiva na República Centro-africana
Os insurgentes da coligação Seleka arruinaram documentos importantes, incluí­ndo os arquivos com os registos dos cidadãos, durante a ofensiva na República Centro-africana Os líderes religiosos da República Centro-africana acusaram os rebeldes da coligação Seleka de terem destruído parte dos arquivos de várias localidades do centro do país. Perderam-se registos de nascimento, certificados de cidadania e documentos contabilísticos, lamentou o arcebispo de Bangui, Dieudonné Nzapalainga, depois de uma visita aos territórios ocupados pelos insurgentes, em que testemunhou a existência de grande quantidade de documentos queimados e espalhados pelas ruas. Nos últimos dias, os dissidentes da coligação ocuparam três localidades, na região oriental, junto à fronteira com a República Democrática do Congo. a população está assustada e preocupada com o clima de insegurança, não só pelo perigo dos ataques dos elementos da Seleka, mas também pela presença dos ugandeses do Exército de Resistência do Senhor (LR a sigla em inglês), agora radicados naquela zona do país. apesar dos acordos de paz com o executivo de Bangui e da formação de um governo de unidade nacional, onde foram incluídos elementos da coligação rebelde, os ataques não cessaram. a fação dissidente, liderada por Nourradine adam (da Convenção de Patriotas para a Justiça e a Paz, CPJP), disse estar desiludida com os pactos e pede a retirada do país dos militares estrangeiros.