as catástrofes naturais que abalaram o mundo o ano passado provocaram mais de nove mil mortos e deixaram prejuí­zos superiores a 106 mil milhões de euros, segundo um estudo das Nações Unidas
as catástrofes naturais que abalaram o mundo o ano passado provocaram mais de nove mil mortos e deixaram prejuí­zos superiores a 106 mil milhões de euros, segundo um estudo das Nações Unidas a seca e o furacão Sandy foram dois dos desastres naturais que mais prejuízos e mortes causaram em 2012, um ano em que se registaram 9. 300 vítimas mortais, devido às inundações, furacões, secas e sismos, que ocorreram um pouco por todo o mundo. as catástrofes causaram danos avaliados em mais de 106 mil milhões de euros e afetaram mais de cem milhões de pessoas. De acordo com Elizabeth Longworth, diretora da agência da ONU para a Redução de Riscos de Desastres, o ano passado foram assinalados 310 desastres extremos e, pela primeira vez na história, os danos ultrapassaram os 77 mil milhões de euros, em três anos consecutivos. a China, os Estados Unidos da américa e a Itália – que enfrentou dois terramotos -, foram os países mais afetados financeiramente. O tufão Bopha, nas Filipinas, foi o que fez mais mortos: 1. 900. Já 63 por cento das perdas económicas ocorreram nas américas. No continente africano, as secas e as cheias atingiram de forma severa vários países, enquanto a Europa enfrentou grandes vagas de frio, que mataram um milhar de pessoas.