a comunidade internacional tem de fazer mais para acabar com a crise Síria, agora que passam dois anos sobre o início da revolta, instou a responsável humanitária da ONU. famílias Sírias deslocadas estão desesperadas e sentem-se abandonadas
a comunidade internacional tem de fazer mais para acabar com a crise Síria, agora que passam dois anos sobre o início da revolta, instou a responsável humanitária da ONU. famílias Sírias deslocadas estão desesperadas e sentem-se abandonadas É um apelo deixado pela subsecretária-geral para os assuntos Humanitários, Valerie amos, no final de uma visita de dois dias à Turquia, onde falou com refugiados sírios na província de Kilis, no sudeste do país. Conheci famílias que fugiram das suas casas há mais de 18 meses. E elas estão em desespero. Sentem-se abandonadas pela comunidade internacional. Todas querem a mesma coisa: que o conflito acabe para que possam regressar a casa. Durante a sua visita, Valerie amos encontrou-se ainda, em ancara, com o vice-primeiro-ministro turco, Besir atalay, e o ministro das Relações Exteriores, ahmet Davutoglu, assim como com outros membros do Governo e responsáveis humanitários, incluindo o presidente da Sociedade do Crescente Vermelho turco (Kizilay), ahmet Lufti akar.