Papa Francisco convida a Igreja a recusar a mundanidade e a «caminhar, edificar, professar» a fé em Jesus crucificado
Papa Francisco convida a Igreja a recusar a mundanidade e a «caminhar, edificar, professar» a fé em Jesus crucificadoNa Eucaristia concelebrada esta tarde na Capela Sistina, Missa Pro Ecclesia (pela Igreja), com todos os cardeais que terça e quarta-feira participaram na sua eleição a Sumo Pontífice, o Papa Francisco proferiu a sua primeira homilia, em italiano e do ambão. Caminhar, edificar, professar Jesus Cristo crucificado foi o tema central da sua reflexão feita de maneira direta e espontânea, sem texto algum à sua frente. Convidou todos os presentes a caminhar, porque a nossa vida é um caminho. Quando paramos, as coisas não funcionam. caminhar sempre, na presença do Senhor, à luz do Senhor, procurando viver de maneira irrepreensível, como pediu Deus a abraão. O Santo Padre inculcou a necessidade de não fugir da Cruz, porque a Igreja só irá em frente se caminhar com a Cruz de Cristo. Tudo isto não é fácil, admitiu o Papa, referindo expressamente o risco de mundanidade.como para Pedro em Cesareia de Filipe, a tentação é de querer seguir Cristo sem a Cruz. Sem a Cruz, não somos discípulos do Senhor, somos mundanos. Há que ter a coragem de caminhar na presença do Senhor, de edificar a Igreja como pedras vivas e de confessar como nossa única glória a Cristo crucificado. O Papa Francisco tinha começado o seu dia com um gesto mariano, visitando de forma privada a basílica de Santa Maria Maior, em Roma, para uma oração dirigida a Nossa Senhora, como tinha anunciado na noite da sua eleição: amanhã (hoje) quero ir rezar a Nossa Senhora, para que abençoe toda a cidade de Roma. Regressando ao Vaticano, o Papa passou pela Casa Internacional do Clero, na Piazza Navona, onde esteve alojado antes do Conclave, para recolher os seus objetos pessoais, cumprimentar o pessoal e pagar a fatura do alojamento. Gesto significativo foi também o facto de não usar para a sua deslocação o carro destinado ao chefe de Estado do Vaticano, mas optar por se deslocar num simples carro da Gendarmaria do Vaticano. Sobre o altar da basílica de Santa Maria Maior, o Papa colocou um ramo de flores a Nossa Senhora, ficando depois em oração silenciosa. Esta basílica era para ele um lugar muito significativo, enquanto jesuíta e cardeal. Depois da Eucaristia desta tarde o Santo Padre irá para o seu apartamento na Casa de Santa Marta, onde viverá, segundo o padre Lombardi, por algum tempo, até que os aposentos papais Vaticano estejam prontos.