No Vaticano vive-se a expectativa da véspera de um momento histórico como é o início de um Conclave em que participam 115 cardeais, de 48 países
No Vaticano vive-se a expectativa da véspera de um momento histórico como é o início de um Conclave em que participam 115 cardeais, de 48 paísesEsta segunda-feira, 11 de março, durante a manhã, os cardeais continuaram os seus trabalhos na décima congregação geral, na aula Paulo VI. ao final da tarde, será celebrado na Capela Paulina o juramento para todo o pessoal da Santa Sé que estará de serviço durante o Conclave. São cerca de 90 as pessoas que farão esse juramento: desde o Secretário do Colégio Cardinalício ao Mestre das Celebrações Litúrgicas Pontifícias até aos serviços de segurança, de transportes e de refeições. Entretanto, multiplicam-se em Roma as iniciativas de reflexão e oração pelo bom êxito do Conclave. Destaca-se adoração eucarística Non Stop promovida pelo Centro Internacional Juvenil São Lourenço.começou hoje às 11h00 e decorrerá até ao fim do Conclave e proclamação do novo Papa. O porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi, referiu em conferência de imprensa que o encontro dos cardeais desta manhã teve 28 intervenções. Os 152 participantes ouviram uma intervenção do cardeal camerlengo, Tarcisio Bertone, sobre o Instituto para as Obras Religiosas (IOR), conhecido como o Banco do Vaticano. Durante os trabalhos desta manhã foram ainda sorteados os nomes dos cardeais (Naguib, Ouellet e Monterisi) que, juntamente com o cardeal camerlengo, integram o grupo que tratará de questões de caráter mais prático, também durante o Conclave. Dos 207 cardeais só 115 provenientes de 48 países, irão eleger a partir de terça-feira o sucessor de Bento XVI. Destes, 19 têm 65 anos de idade ou menos e 45 têm mais de 75. a média etária dos eleitores é de 71 anos. Na terça-feira, 12 de março, pela manhã, às 10h00 locais (9h00 em Portugal), será celebrada na Basílica de São Pedro a missa pro eligendo Romano Pontífice. Estará aberta a todos os fiéis que desejem participar, O presidente da celebração é o cardeal decano, angelo Sodano. Concelebram todos os cardeais, não somente os eleitores. Às 16h30 (15h30 em Portugal) far-se-á a procissão dos cardeais da Capela Paulina até a Capela Sistina, com o canto das Ladainhas de Todos os Santos e a invocação do Espírito Santo com o Veni Creator. Segue-se o juramento dos cardeais, depois do qual será dada a ordem do extra omnes (todos fora), e fecham-se as portas para o único escrutínio da tarde.