Muçulmanos enfurecidos queimaram mais de cem casas de cristãos. Houve cerca de 140 feridos, incluindo um Bispo
Muçulmanos enfurecidos queimaram mais de cem casas de cristãos. Houve cerca de 140 feridos, incluindo um Bispo a Rádio Vaticana noticiou que uma multidão de cerca 3 mil muçulmanos invadiu e queimou, na manhã do dia 9 de março, mais de cem casas de fiéis cristãos no Bairro Badami Bagh, de Lahore, após um presumível caso de blasfêmia. as primeiras informações recolhidas pela agência Fides estimam em 140 o número de feridos, entre homens, mulheres e crianças. Entre os feridos está o Bispo akram Gill, da Comunidade Evangélica paquistanesa, que tentava intermediar o conflito. Já na noite de sexta-feira, após a oração islâmica, uma multidão, à caça do blasfemador, havia desalojado 150 famílias, que fugiram do bairro para não serem linchadas. O caso da presumível blasfémia diz respeito ao cristão Savan Masih, que tinha sido preso pela polícia após uma denúncia com base no artigo do Código Penal, que trata da Lei da Blasfémia, mas, segundo os cristãos locais, a denúncia é falsa. O administrador apostólico de Lahore, Bispo Sebastian Shaw, assim comentou o caso à agência Fides: Condenamos gestos de violência deste gênero e pedimos ao governo que garanta a segurança dos cidadãos e, especialmente, das minorias religiosas. Existem pessoas que querem fazer justiça com as próprias mãos e pensam que estão por cima da lei. É um episódio muito triste que comove a nossa cidade. as pessoas inocentes não estão seguras em suas casas. Manifestamos às famílias atingidas todo o nosso apoio e solidariedade. Estamos em contacto com a Cáritas para auxiliar estas pessoas. Neste país é necessário trabalhar muito pela paz e pela harmonia, afirmou o Bispo de Lahore.