a convite do Movimento Mundial da Poesia, mais de 700 escritores e intelectuais, de 138 países, assinaram uma declaração de apoio ao processo de paz entre o governo colombiano e as forças revolucionárias
a convite do Movimento Mundial da Poesia, mais de 700 escritores e intelectuais, de 138 países, assinaram uma declaração de apoio ao processo de paz entre o governo colombiano e as forças revolucionárias a poesia, profundamente inspirada na necessidade de paz no mundo, está destinada a transformar e renovar o espírito humano, recordando aos povos da terra as suas raízes, a salvaguarda da natureza e o dever da unidade espiritual e da solidariedade. Esta é a convicção dos 728 escritores e intelectuais, de 138 países, que assinaram um documento de apoio ao processo de paz entre o governo colombiano e as Forças armadas Revolucionárias da Colômbia (FRaC). O povo colombiano é vítima de uma guerra de mais de meio século, que tem afetado a estabilidade política da américa do Sul. Este conflito deixou mais de um milhão de mortos, e uma quantidade maior de feridos, mutilados, desaparecidos, prisioneiros e exilados. Mais de quatro milhões de colombianos foram desalojados das suas terras, que estão hoje nas mãos dos senhores da guerra, pode ler-se na declaração, a que deram o título Forças da poesia mundial pela paz na Colômbia. No seguimento desta iniciativa, promovida pelo Movimento Mundial de Poesia, os subscritores do documento convocam os escritores de todos os continentes a participarem numa ação poética mundial, entre 9 e 21 de maio, com leituras coletivas de poemas, concertos, e atividades artísticas de apoio ao diálogo para que se alcance a paz definitiva na Colômbia.