Se as taxas de casamento infantil se mantiverem, mais de 140 milhões de meninas serão noivas enquanto crianças, entre 2011 e 2020. as Nações Unidas advertiram que poucos progressos têm sido feitos para acabar com esta prática nociva para as raparigas
Se as taxas de casamento infantil se mantiverem, mais de 140 milhões de meninas serão noivas enquanto crianças, entre 2011 e 2020. as Nações Unidas advertiram que poucos progressos têm sido feitos para acabar com esta prática nociva para as raparigas Serão 140 milhões de raparigas que entre 2011 e 2020 serão noivas ainda crianças. Destas, 50 milhões terão menos de 15 anos, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPa), que acrescentou que as raparigas que se casam antes dos 18 anos correm um maior risco de serem vítimas de violência pelo parceiro do que aquelas que se casam mais tarde. O casamento infantil é uma violação terrível dos direitos humanos e rouba às raparigas as suas perspetivas de educação, saúde, a longo prazo, afirmou o diretor executivo do UNFPa, Babatunde Osotimehin. Uma rapariga que se casa quando criança é aquela que verá o seu potencial não ser cumprido. Uma vez que muitos pais e muitas comunidades querem o melhor para suas filhas, devemos trabalhar juntos e acabar com o casamento de crianças. Este tipo de casamento é cada vez mais reconhecido como uma violação dos direitos das crianças que interfere com a sua educação, bloqueia a oportunidade delas em obterem qualificação profissional, aumentando ainda o risco de violência sexual, bem como suas hipóteses de contrair o VIH, de acordo com UNFPa. Nenhuma rapariga deve ver roubada a sua infância, a sua educação e saúde, nem as suas aspirações. ainda hoje milhões de meninas veem negados os seus direitos, quando são casadas ainda crianças, afirmou a diretora executiva da Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Género e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), Michelle Bachelet.