a cada ano que passa, mais de 650 milhões de mulheres estão condenadas à fome e à pobreza. E dois terços da população mundial sem acesso à escola são do sexo feminino
a cada ano que passa, mais de 650 milhões de mulheres estão condenadas à fome e à pobreza. E dois terços da população mundial sem acesso à escola são do sexo feminino a dois dias de se comemorar o Dia Internacional da Mulher, a associação Mãos Unidas revela que mais de 650 milhões de mulheres estão condenadas todos os anos a viver com fome e em situação de miséria extrema. Enquanto as mulheres continuarem a ser vítimas de violência, injustiça e desigualdade, em casa ou no local de trabalho, o fenómeno da feminização da pobreza’ continuará a ser uma realidade em todo o mundo, alertam os dirigentes da organização não governamental (ONG). Tendo em conta que dois terços das pessoas analfabetas no mundo são do sexo feminino e que se verifica uma enorme falta de cuidados de saúde para este grupo populacional, sobretudo durante a gravidez, os responsáveis da Mãos Unidas consideram haver pouco a comemorar na próxima sexta-feira, 8 de março. até porque, em áreas geográficas como a África subsaariana, Norte de África e Ásia Ocidental, o emprego entre as mulheres é sempre o mais vulnerável. a ONG recorda ainda que a mulher, principalmente nos países mais desfavorecidos, tem que conciliar o seu trabalho em casa com o papel de mãe, educadora e produtora de alimentos, pelo que as suas oportunidades de trabalho remunerado são inferiores às do homem. Por isso, em 2012, a organização aprovou 83 projetos centrados na promoção e desenvolvimento do género feminino, nos quais foram investidos cinco milhões de euros.