Responsáveis das Nações Unidas lamentaram a morte de Stéphane Hessel, antigo membro da Resistência francesa, escritor e «um dos grandes campeões dos direitos humanos». Morreu durante a noite de quarta-feira, aos 95 anos. é o autor de «Indignai-vos!»
Responsáveis das Nações Unidas lamentaram a morte de Stéphane Hessel, antigo membro da Resistência francesa, escritor e «um dos grandes campeões dos direitos humanos». Morreu durante a noite de quarta-feira, aos 95 anos. é o autor de «Indignai-vos!» Stéphane Hessel serviu na Resistência Francesa, durante a Segunda Guerra Mundial, antes de ser preso pela Gestapo alemã e enviado para campos de concentração. Sobreviveu para ajudar a redigir a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948. Nos últimos anos voltou à ribalta com um pequeno livro que escreveu: Indignai-vos! (ed. Objetiva) – onde os atuais movimentos de indignados na Europa foram beber muita da inspiração para as suas lutas. Editado em 2010 tornou-se um sucesso editorial em França, com várias traduções, incluindo uma portuguesa que teve prefácio de Mário Soares. O opúsculo, apresentado como panfletário para muitos, interpela os jovens a tomarem uma posição contra a discriminação, a desigualdade e a indiferença. O Conselho de Direitos Humanos da ONU, que esteve reunido quarta-feira, 27 de fevereiro, em Genebra, Suíça, observou um minuto de silêncio em memória de Stéphane Hessel – a primeira vez que um indivíduo é honrado desta maneira por este organismo. Stéphane Hessel foi uma figura de destaque no mundo dos direitos humanos, sublinhou a alta comissária para os Direitos Humanos, Navi Pillay. O seu envolvimento com a equipa que redigiu a Declaração Universal é suficiente por si só para ganhar um lugar de honra na história mundial. Mas ele continuou a fazer muito mais, contribuindo para o avanço dos direitos humanos já bem nos seus 90 anos.