Governo da África do Sul espera combater a corrupção no setor público com a divulgação do nome dos funcionários desonestos. Os bens dos prevaricadores passam a reverter a favor do Estado
Governo da África do Sul espera combater a corrupção no setor público com a divulgação do nome dos funcionários desonestos. Os bens dos prevaricadores passam a reverter a favor do Estado O ministro da Justiça sul-africano, Jeff Radebe, promete divulgar em breve uma lista com o nome de 32 funcionários públicos acusados de corrupção. a divulgação da identidade dos prevaricadores faz parte de uma nova estratégia do governo para combater o enriquecimento ilícito no setor público. a par desta medida, os bens dos suspeitos serão apreendidos, revertendo depois a favor do Estado. Segundo Radebe, o objetivo é tornar conhecidas as maçãs podres da sociedade sul-africana, que têm provocado prejuízos avultados aos cofres da nação. Entre 2006 e 2007, as instituições sul-africanas perderam mais 130 milhões de randes (cerca de 11 milhões de euros) devido à corrupção. E os cálculos das autoridades governativas indicam que este tipo de crime pode ter custado ao Estado qualquer coisa como 932 milhões de randes (perto de 79 milhões de euros), entre 2010 e 2011. as contas do ano seguinte ainda não estão feitas, mas sabe-se já que foram detetados mais de 4. 000 casos de corrupção.