O proprietário da Rádio sem Fronteiras, que emite a partir do Paraguai, foi morto a tiro quando saia do trabalho. a UNESCO condena o assassinato, pedindo uma investigação rápida, para que os autores do crime sejam levados à justiça
O proprietário da Rádio sem Fronteiras, que emite a partir do Paraguai, foi morto a tiro quando saia do trabalho. a UNESCO condena o assassinato, pedindo uma investigação rápida, para que os autores do crime sejam levados à justiça a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) condenou esta sexta-feira, 22 de fevereiro, o assassinato do proprietário e gerente da emissora paraguaia Rádio sem Fronteiras (RSF). Marcelino Vázquez foi morto com um tiro na cabeça, quando saia do trabalho e se dirigia para uma discoteca que explorava, na cidade de Pedro Juan Caballero, junto à fronteira com o Brasil. É fundamental que os culpados pelo crime sejam levados à justiça, declarou a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, frisando que a liberdade de expressão, reconhecida como um direito humanitário básico, depende da capacidade que têm os operadores dos meios de comunicação para trabalharem em condições razoáveis de segurança. a RSF transmite música, opinião e notícias.