Programa de assistência alimentar às vítimas das cheias já chegou a mais de 200 mil pessoas. Grande parte dos alimentos está a ser comprada a pequenos agricultores da zona centro do país
Programa de assistência alimentar às vítimas das cheias já chegou a mais de 200 mil pessoas. Grande parte dos alimentos está a ser comprada a pequenos agricultores da zona centro do país O plano de ajuda às vítimas das cheias em Moçambique, desenvolvido pelo Programa Mundial de alimentação (PMa), já chegou a 214 mil pessoas, a quem foram distribuídas 982 toneladas de alimentos diversos, informou a organização em comunicado. No pacote de bens alimentares entregue às famílias está o milho e o feijão comprado aos agricultores nacionais, para contribuir também para o desenvolvimento da capacidade produtiva local. até agora, foram investidos perto de nove milhões de dólares (cerca de 6,8 milhões de euros), conseguidos com a ajuda do Fundo Central das Nações Unidas de Resposta à Emergência e dos governos da Suíça, Estados Unidos da américa, Canadá e da Itália. a primeira fase da ajuda foi feita diretamente pelas equipas do PMa, estando em curso uma segunda fase, que é assegurada pelos parceiros da organização. Os destinatários desta etapa são os desalojados que se encontram nos centros de acolhimento temporário dos distritos de Bilene, Chókwé, Chicualacuala, Chibuto, Guija e Xai-Xai.