Organização para a promoção da saúde estima que mais de 12 milhões de pessoas em todo o mundo são submetidas a trabalhos forçados, obrigadas a prostituir-se e até a doarem órgãos
Organização para a promoção da saúde estima que mais de 12 milhões de pessoas em todo o mundo são submetidas a trabalhos forçados, obrigadas a prostituir-se e até a doarem órgãos Os dados foram apresentados num fórum internacional sobre tráfico de seres humanos no sudeste asiático, que está a decorrer em Banguecoque, na Tailândia. Segundo a organização não governamental (ONG) anesvad, há mais de 12 milhões de pessoas em todo o mundo sujeitas a trabalhos forçados, obrigadas a prostituir-se e a doar órgãos. E, em cada dois anos, uma média de 140 mil vítimas de tráfico para exploração sexual são mudadas de local, sendo o seu lugar ocupado por outro grupo de mulheres controlado pelos traficantes.com a realização do fórum, pretende-se encontrar mecanismos para enfrentar a complexidade do fenómeno e avaliar os resultados do projeto das Nações Unidas contra o Tráfico de Seres Humanos, que está a ser aplicado na China, Laos, Camboja e Myanmar. Depois de oito anos de funcionamento, as estratégias desenvolvidas por este conjunto de instituições revelaram-se como as mais adequadas para pôr travão a um fenómeno sem fronteiras que requer uma abordagem comum e uma visão global, referem os responsáveis da anesvad. Exemplo disso foram os efeitos alcançados na China. através da ação conjunta das organizações envolvidas no projeto foi possível dar apoio psicológico e orientação a 12 mil crianças e sete mil mulheres, vítimas de tráfico, para que pudessem prosseguir as suas vidas, acrescentaram os representantes da ONG. Neste sentido, os participantes no encontro vão tentar também coordenar esforços no sudeste asiático para erradicar a captação, transporte e acolhimento de pessoas sob ameaça, uso da força ou outras formas de coação.