Um ano depois da comunidade internacional ter lançado uma resposta humanitária massiva à crise alimentar que afeta esta região africana, milhões de pessoas ainda são afetadas pela seca e necessitam de assistência, segundo a agência alimentar
Um ano depois da comunidade internacional ter lançado uma resposta humanitária massiva à crise alimentar que afeta esta região africana, milhões de pessoas ainda são afetadas pela seca e necessitam de assistência, segundo a agência alimentar De acordo com o Programa alimentar Mundial (PaM), este ano, cerca de nove milhões de pessoas em todo o Sahel vão ainda necessitar de ajuda alimentar da própria agência, através de assistência de emergência alimentar, desenvolvimento rural, nutrição e atividades de educação, sublinhou Ertharin Cousin, diretora executiva do PaM. Ertharin Cousin foi a anfitriã de um evento em Roma que reuniu líderes de agências humanitárias, representantes de governos dos países afetados e os principais doadores para avaliar a eficácia da assistência prestada à região. No ano passado, a comunidade internacional contribuiu para evitar uma catástrofe humanitária, fornecendo 1,2 mil milhões (890 milhões de euros) em assistência a cerca de dez milhões de pessoas em oito países do Sahel, uma região que atravessa como uma larga faixa o continente africano do oceano atlântico ao Índico – do Senegal à Etiópia.