as vítimas das cheias de Moçambique vão receber mais de oito toneladas de medicamentos doados por laboratórios da indústria farmacêutica portuguesa
as vítimas das cheias de Moçambique vão receber mais de oito toneladas de medicamentos doados por laboratórios da indústria farmacêutica portuguesaPortugal vai enviar medicamentos para as vítimas das cheias de Moçambique, doados por laboratórios da indústria farmacêutica portuguesa. Temos cerca de oito toneladas de medicamentos, essencialmente para a cólera, [e] malária, afirmou Manuel Teixeira, secretário de Estado da Saúde, em declarações à agência Lusa, segunda-feira, 18 de fevereiro, enquanto assistia à operação de envio da ajuda humanitária num armazém do Montijo.
O apoio às vítimas das cheias foi coordenado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, e contou com o apoio do Ministério da Saúde que, através do Infarmed (autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde), conseguiu a colaboração de vários laboratórios da indústria farmacêutica que ofereceram os medicamentos.
Nós estamos naturalmente à disposição das autoridades moçambicanas, que nos dirão se esta ajuda é suficiente ou não, disse Eurico Castro Alves, presidente do Infarmed, que também assistiu ao envio do material nos armazéns de uma empresa de logística e transporte que também colaborou na operação de forma gratuita.
O material humanitário será transportado por navio e tem como destino o porto de Maputo, Moçambique. De acordo com dados divulgados na última segunda-feira pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC), as cheias já provocaram mais de 113 mortes.