Organização ambientalista está alarmada com colapso de um edifício na central de Chernobyl. as autoridades ucranianas referem que não houve qualquer aumento de radioatividade, mas as empresas de construção já retiraram funcionários do local por precaução
Organização ambientalista está alarmada com colapso de um edifício na central de Chernobyl. as autoridades ucranianas referem que não houve qualquer aumento de radioatividade, mas as empresas de construção já retiraram funcionários do local por precaução a Greenpeace, uma organização ambientalista, está alarmada com o colapso de parte de um edifício na central nuclear de Chernobyl, na Ucrânia. É um mau sinal: se caíram uns painéis na sala de máquinas, não há nenhuma garantia de que não possa começar a colapsar o sarcófago, construído [sobre o reator avariado] em 1986, disse Vladímir Chuprov, dirigente da Greenpeace-Rússia, em declarações à agência Interfax.
Para este responsável, a situação é muito preocupante mesmo que não tenham aumentado os níveis de radiação, pois podem ser espalhadas poeiras radioativas. Segundo a Inspeção de Regulação Nuclear da Ucrânia, o telhado é uma construção ligeira, que não faz parte do sarcófago, que encerra o reator avariado. a vida útil do sarcófago de betão sobre o quarto reator está a chegar ao fim e, por isso, teve início a construção de um novo, que deverá durar 100 anos. Os representantes de duas empresas de construção que estão a trabalhar na estrutura afirmaram quarta-feira, 13 de fevereiro, ter retirado da central nuclear cerca de 80 trabalhadores, como medida de precaução. a informação sobre a queda parcial de um muro e do telhado da sala de máquinas foi avançada pelas autoridades ucranianas, que sublinharam que não houve qualquer aumento de radioatividade.