«Viver na fé quer dizer reconhecer a grandeza de Deus e aceitar a nossa condição de criaturas» disse Bento XVI na audiência geral
«Viver na fé quer dizer reconhecer a grandeza de Deus e aceitar a nossa condição de criaturas» disse Bento XVI na audiência geralNa sua habitual catequese das quartas-feiras, na Sala Paulo VI, hoje dia 6 de fevereiro, o Papa prosseguiu a sua reflexão sobre o Credo, a partir do primeiro versículo do livro do Génesis, que diz: No princípio Deus criou o céu e terra (Gen 1, 1), afirmando que o homem torna-se grande somente quando descobre que é pequeno diante de Deus que o criou. Bento XVI perguntou se tem sentido, na época da ciência e da técnica, falar ainda de criação e como é que devemos entender as narrações do livro do Génesis. Explicou que a Bíblia não pretende ser um manual de ciências da natureza, mas pretende compreender a verdade autêntica e profunda das coisas. Sublinhou a ideia expressa na Escritura de que Deus manifesta-se na criação como Pai, em quanto origem da vida, um Pai bom e poderoso que cuida daquilo que criou com amor e fidelidade. Na palavra de Bento XVI a fé implica saber reconhecer o invisível, individuando os seus vestígios no mundo visível. O crente pode partir do livro da natureza e entender a sua linguagem, mas para que o homem possa chegar ao pleno conhecimento da realidade de Deus como Criador e Pai é necessária a Palavra da revelação, que suscita a fé. O ápice da criação – sublinhou o Pontífice – é o homem e a mulher, o ser humano: um ser pequeno em relação à imensidão do universo, mas o único que foi feito à imagem de Deus, capaz de entender a sabedoria da sua obra e reconhecer e louvar através dela o seu Criador. E é por isso que o homem goza da proteção especial de Deus, o qual fundamenta a inviolabilidade da dignidade humana, perante a tentação de ver nas pessoas simples objetos inanimados para a própria utilidade. ao terminar o Papa saudou os peregrinos brasileiros de Guaratinguetá e todos os presentes de língua portuguesa. E logo a seguir, o grupo brasileiro entoou um hino a Nossa Senhora aparecida.